segunda-feira, novembro 17, 2014

BOLOVO ART BRO :: RICARDO CAVOLO

-->


Para começar, conte-nos  um pouco sobre você. Qual sua idade? – De onde você é?
Tenho 32 anos e nasci em Salamanca (Espanha), mas no momento estou vivendo em Brighton (Inglaterra)

Como é um típico dia Cavolo/Cigano? 
Nem sei direito se um dia normal na minha vida é um dia cigano. Já vivi com os ciganos e minha vida hoje é muito diferente. Passo a maior parte do dia em meu estúdio pintando e desenhando. Pedalo por uma hora todos os dias e o resto do tempo, geralmente trabalho. Algumas vezes, esse ritmo da vida normal é quebrado e passo alguns meses viajando a trabalho. Essa segunda parte talvez seja mais parecida com a vida cigana, haha.

Por que você decidiu morar na Inglaterra?
Queria mudar um pouco a minha vida. Quase sempre vivi na Espanha (passei só um ano na  Itália) e precisava mudar de país, descobrir um novo estilo de vida, uma nova cultura. Como sempre gostei da Inglaterra e vinha a Londres desde os 16 anos, foi uma escolha fácil.

Durante o projeto, você nos contou que sua família tem origens ciganas. Você poderia contar um pouco mais sobre isso?
Minha mãe, depois de se divorciar de meu pai, casou com um cigano. Desta forma, ganhei uma nova família cigana, a família dele.
 

Você tem algum provérbio ou ditado cigano preferido?
Na verdade, não. Não sou de repetir coisas. A melhor lição que aprendi com os ciganos é a viver cada dia como se fosse único, especial. Aproveitar cada momento e ter sempre noção de sua posição na vida.



Ter tido essa história com os ciganos faz com que você tenha algum tipo de poder mágico?  Haha, não mesmo…

Quando vi seu trabalho pela primeira vez, me pareceu que você tem um universo particular em sua mente. Estou certo?
Bem, como eu era uma criança meio solitária, tentei desenvolver um mundo interior grande e complexo.  Talvez isto tenha contribuído na criação desse universo privado que é bem útil em meu trabalho.

E como é estar lá? É incrível ?
Tenho que confessar que realmente curto!

Como foi a criação desse universo? Já te acompanha desde a infância ou você teve algum tipo de revelação?
Sempre li muitos livros e HQs, o que ajudou muito a trabalhar com a imaginação. Creio que é algo que você constrói pouco a pouco, não é como ser atingido por um raio divino.

Como foi crescer na Espanha? Você acha que existe alguma ligação entre sua  infância e a profissão e o estilo de vida que adotou?
Mudei para Madri com 23 anos, até lá morei em minha cidade, Salamanca. Como cresci no estúdio de pintura do meu pai, então sim, tenho certeza de que minha infância está totalmente ligada à minha profissão.
Meu pai foi meu professor de artes.
 
O que você acha da escola na Espanha? Tenho a impressão de que você nunca prestou muita atenção nas aulas e ficava só pintando, pintando. Estou certo?
Acho que escola é necessária, claro. Tentei tirar boas notas caso precisasse no futuro, mas sempre me dediquei mais à criatividade e às artes.


Conte um pouco sobre sua relação com o VERMELHO.
Cores são realmente importantes em minha vida, é um alfabeto alternativo que uso todos os dias.
Vermelho é vida, poder, força. Preciso pessoalmente do vermelho e preciso dar o vermelho para as pessoas. É como se fosse uma cor com poderes curativos.

Você produziu muitas obras, algumas muito grandes. Você se lembra de ter parado e pensado: “será que isso está realmente acontecendo? "Será que vou poder viver da minha arte?”
Foi quando me chamaram para meu primeiro projeto importante. Era um projeto internacional do Cirque du Soleil e percebi que esta atividade estava se tornando algo maior. Mas eu tento não me convencer sobre ser capaz de viver da arte. Não é algo que você conquista e jamais perde. Você tem que trabalhar dia após dia para manter este fato real.

Sua arte está te levando a muito lugares únicos. Qual é a importância de sair, de viajar?
Essa é uma das melhores coisas que meu trabalho proporciona. No momento, estou pintando um mural em Hong Kong, um lugar que eu jamais imaginei conhecer através de meu trabalho. Essa é uma das melhores coisas de meu trabalho, é claro.

Qual dos lugares que visitou é seu favorito?
Gostei de tudo, mas tenho que admitir que tenho uma conexão muito forte com o Canadá, mas eu já gostava deste país antes mesmo de conhecê-lo. Também tenho bom relacionamento com a Ucrânia e a Rússia.

O que você pensou quando enviei o email sobre fazer alguma coisa com esta pequena marca brasileira? Qual foi sua reação?
A reação é sempre boa.  Como existem tantos artistas fazendo coisas interessantes , se você parou na frente do meu trabalho e pensou que gostaria de trabalhar comigo, é uma honra. Como o Brasil é um dos países com o qual tenho um bom relacionamento, tanto melhor. 

Qual é sua impressão sobre a Bolovo?
Achei muito legal. Adoro quando alguém dá tudo de si para fazer algo bem feito, poderoso e único. É como  empenhar corpo e mente em tudo o que faz, adoro porque é assim que eu sou.

O que você achou de nossas criações conjuntas?
Estou muito satisfeito com a nossa colaboração. Foi muito bom trabalhar com toda a liberdade  que você me deu e mal posso esperar para ver o resultado e mostrá-lo ao mundo.

Conte sobre algum sonho muito louco que você tem ainda a realizar em sua carreira ou em sua vida.
Meu maior sonho é continuar a fazer exatamente o que estou fazendo agora. Se puder passar o resto da minha vida pintando e desenhando, será perfeito.

Quando você pretende vir ao Bolovo Ground Control e tomar aquelas cervejas que estou devendo?
Haha, logo que eu conseguir escapar e ir ao Brasil!

Mais alguma coisa?
OBRIGADO, OBRIGADO, OBRIGADO!!!!

 Jogo rápido:
       3 filmes. O Poderoso Chefão, Os Bons Companheiros e os filmes de Kusturika.
       3 livros. O Senhor dos Anéis, todos os livros de H.P. Lovecraft e HQs em geral.
       3 músicas. Qualquer música de festa cigana do Leste europeu, três vezes!!!
       3 melhores jogadores brasileiros de futebol na Espanha de todos os tempos. Ronaldinho, Romário e Neymar (no futuro)
       Dinossauro favorito: Velociraptor ou Triceratops (não dá para escolher um ou outro!)

Muito obrigado, meu amigo!






Mais sobre o Cavolo em www.ricardocavolo.com 

Um comentário:

Postar um comentário

fala aí!